domingo, 21 de maio de 2017

quando as lembranças me levam até você e fico aqui, tão longe, sentindo seu cheiro impregnado em mim, e sem poder tocá-lo, só mesmo sentindo a distancia, a saudade, a dor de viver assim. lembranças, tantas lembranças que o tempo insiste apagar e nada neste mundo consegue me fazer esquecer. e fico aqui, nessa saudade que aos poucos me mata, e nunca poe fim neste amor que sinto por você.

sábado, 14 de novembro de 2015

Tenho pra mim

Tenho urgência de ver exposta toda a hipocrisia, que de tão rasteira, cada dia se faz mais visível, palpável...
Tenho sede de justiça e real transparência, sem ações ocultas, obscuras...
Tenho também em mim a certeza absoluta de que nada ficará impune. Nada!
Minha consciência? Tranquila, limpa, pura.

E a sua?


Há tempos esqueci...










Há tempos esqueci você
esqueci seu olhar doce
medroso
esqueci seu pescoço tenso
o cabelo grisalho
e seu corpo nú
colado ao meu
Há tempos esqueci de entender
todo o desejo
todo medo
cada gesto inacabado... distante
meu sonho de você
Há tempos esqueci de nós
de nossos beijos malucos
de nossos intensos desejos
de nossos corpos enroscados
na grama, no chão, nesse colchão

Amor distante

Tenho em mim um amor gigante, que mesmo distante, não cessa nunca. Arde. Sufoca. Parece não ter fim e faz doer minha alma.
Dia após dia....
Não lembro de um tempo que esse amor não me tenha sentir toda essa saudade.
Não me lembro de algum dia que ele de fato tenha sido esquecido.
Dia após dia...
Eternamente em mim. Simples assim.


quinta-feira, 2 de maio de 2013

Gosto é gosto

Vou dizer uma coisa que para quem não entende do assunto vai parecer que fiquei louca de vez: somos uma espécie em evolução, já perdemos quase todos os pelos do corpo (menos o Tony Ramos, rs), muitos de nós já não tem mais os dentes de siso e os caninos são cada vez “menos canino”. Nosso dedo mindinho dos pés esta cada vez menor (dentro de algum tempo é provável que a espécie humana nasça sem eles já que não tem “função”, assim como amígdala e apêndice) e o parto normal é cada vez mais raro (definitivamente não é por conta dos médicos que preferem a cesária, conheço várias mulheres, incluindo eu que fiquei 36 horas em trabalho de parto, que tentaram de tudo para ter parto normal e na hora H tiveram que ser submetidas à cesariana pois tanto a mãe quanto a criança correriam risco de morrer). Nosso corpo está mudando completamente, basta olhar as crianças de hoje em dia para perceber que feições e traços do rosto, pele, pelos, entre outros, está cada vez mais sutil, bonito, leve, bem diferente dos nossos antepassados “rústicos”, grosseiros”, “pesados”. Minha teoria é que dentro do processo evolutivo do ser a grande população mundial, para sobreviver na terra, terá que ser homossexual ou bissexual. A espécie de heterossexual será uma minoria dentro de pouquíssimo tempo e isso com certeza trará uma mudança comportamental gigantesca no mundo todo e que será necessária para que a espécie consiga se manter no planeta. Já esta acontecendo na verdade.
Venho falando isso com meus filhos, converso sobre a importância de aprendermos não apenas a respeitar o “gosto” de cada pessoa (sim, eu acho que quem gosta de negros, brancos, velhos, loiros, feios, ruivas, beiçudos, peitudas, jovens, bundudas, asiáticos, gordas, homens, mulheres, índios....., é um questão de gosto pessoal intransferível), mas também compreender e aceitar o constante processo de mudança evolutiva que estamos vivendo. Adaptação é tudo nesse mundo, então é melhor nos adaptarmos aceitando e respeitando o gosto de cada um.

E para terminar, meu gosto pessoal é: homem, moreno claro, sobrancelha e nariz bem delineados, nem alto, nem baixo. Branquelos, nem pensar! Loirinhos demais também não me atraem assim como negros, asiáticos, gordos, homens com carinha de bebê ou mulheres. Por fim, sempre gostei de homens com idade aproximada à minha (no máximo cinco anos a menos, ou cinco a mais). Com isso quero dizer que não sou nem racista, nem homofóbica. Também não me sinto “A” politicamente correta e muito menos sou preconceituosa, apenas me sinto atraída por essa espécie humana que está dentro desse meu padrão de gosto pessoal. Claro que, se fosse solteira e tivesse chance, não dispensaria um “Brad Pitt da vida”, rs, mas com certeza o Gianecchini é bem mais “o meu número”..... e o Tick é claro, que é meu número, CPF, conta corrente..... kkkkkkkkkkkkkkkk


quarta-feira, 24 de abril de 2013

Eu e ela

E começou com uma dor de cabeça insuportável, tosse e enjoo. Era domingo. 
Dia seguinte, mais dor de cabeça, mais tosse, mais enjoo, pensei cá com meus botões: comecei mal a semana. Repouso absoluto! Sem dor no corpo, sem mancha, muito tonta e em estado febril. Meu dengo, refleti, não é dengue (graças a Deus).
No pouco tempo acordada olho pela fresta virtual o mundo lá fora e cá debaixo das cobertas sinto frio ao constatar que tem menos gente feliz no facebook, mais assuntos sérios sendo sistematicamente compartilhados, discutidos. Penso, reflito, constato: tamu(s) fudidu(s). Aí vem a noite e com ela a certeza de que se tá ruim, pode piorar, não deu outra, cabeça parece um pinico preste a explodir catarro, os olhos quase saem pra fora de tanta dor e minha doce filhota me chama as quatro da matina passando mal: febre alta, dor de barriga, vômito, dor de cabeça... não foi à aula, perdeu a prova, não comeu nada, só febre e ânsia de vômito. Sem machas no corpo, mas com febre muito alta. Agora ela dorme, dorme o dia inteiro comigo do lado dela. E ainda tenho que agradecer por ter ficado doente junto dela, ou vice versa. Por hoje poder ficar com ela. Por sentir seu corpinho quente junto ao meu, agora morno. Por poder velar seu sonho e cuidar da sua dor...eu e ela!
A partir de agora, mudarei tudo!